bate-bola

As melhores entrevistas do basquete feminino no Brasil

domingo, fevereiro 20, 2005

Maria Paula Gonçalves da Silva,a Magic Paula

1) A vida de 'aposentada' está mais ou menos agitada do que você previa? Já está dando pra sentir saudade?

Felizmente, cheia de compromissos e estou curtindo muito estes primeiros meses afastada das quadras. Posso me dedicar muito mais ao ser humano Paula, quem se aposentou foi a Magic Paula. Para ser sincera, não tenho sentido saudades, somente a necessidade de fazer atividade física, pegar em uma bola de basquete ainda não.

2) Quais são seus planos imediatos?

Concretos: Escrevo para um site de esportes semanalmente, o Sportsja, estou adorando. Acertei com a Sportv, mas ainda não definimos o que será feito ate as Olimpíadas, só sei que estarei trabalhando com eles na Olimpíada. Os projetos com a criançada estão sendo encaminhados, requer muita paciência e trabalho. No próximo semestre quero me dedicar ao curso de Administração Esportiva na GV e fazer um estagio de alguns dias na WNBA. Administrar uma equipe de alto nível de basquete feminino é meu desejo, mas talvez ficara para o próximo ano.

3) Um estágio na WNBA faz mesmo parte de seus planos? Já está tudo acertado?


Sim. Creio que estou em um momento de aprendizado, sair das quadras como jogadora exige um tempo para se adaptar em outra função.


4) Por que você não aceitou o convite da WNBA quando estava no auge da forma, em 97 e 98 e aceitou agora na função de manager? Você tinha medo de ser 'mandada pra geladeira' lá?


São coisas distintas. Como jogadora acreditava que não necessitava estar provando quem eu era, em um momento em que estava disposta a encerrar a carreira. Financeiramente estaria tendo que pagar para jogar, já que o meu contrato aqui era muito mais vantajoso. Talvez se fosse pelo menos 10 anos atrás, poderia estar apostando em um futuro, hoje já não era motivo de sacrifícios. Como manager será algo novo na minha carreira, quero aprender na terra do basquete e transformar para a nossa realidade.

5) É verdade que você já tem um projeto pra desenvolver o basquete feminino no Santos? Vai deixar de torcer pelo Palmeiras?

Não. Estamos estudando para o próximo ano a possibilidade de implantar o basquete feminino em algum clube de futebol. Sou uma Palmeirense tranqüila e que não vira casaca.

6) É impossível não falar na sua despedida, que pegou todos de surpresa: você já tinha um acerto com a Karina pra jogar em Campinas antes de decidir parar?

O contato para a minha transferência do BCN para a Knorr foi feito, mas o meu desejo de encerrar a carreira foi maior.

7) A perda do patrocínio da Knorr precipitou sua aposentadoria ou não?

Não, já que eu tinha contrato até julho com o BCN.

8) O que te deixava insatisfeita no BCN/Osasco?

A estrutura e a seriedade que existe dentro do BCN é impossível alguém estar descontente. Somente a filosofia dentro da base da equipe é de que "estrelas não tem vez", aconteceu com a Karina e depois comigo.

8) Quando a bola subir para a seleção em Sydney, você estará tranqüila em relação à sua opção?

Não tenho duvidas nenhuma da minha decisão, quando a bola subir nas olimpíadas, estarei torcendo pelo basquete feminino brasileiro


9) Na seleção, o grupo foi renovado de uma vez a partir de 1993 e se manteve praticamente o mesmo até 1998. Houve um desgaste no seu relacionamento com as mais jovens?

O desgaste é natural, quando você já esta fazendo pós-graduação e encontra uma base que acabou de entrar para a faculdade. É um conflito de gerações e pensamentos completamente diferentes.


10) Você acha que a renovação está acontecendo ou está a passos lentos?

Não podemos dizer que esta é uma equipe renovada, a base já esta junto desde 1991, o que tem me preocupado são as equipes menores. Quem vem surgindo?


11) Você se sentiu magoada por não ter sido mais procurada por Barbosa ou pela CBB depois de não ter aceito a convocação para o Pré-Olímpico?

Não fui procurada porque eles já sabiam da minha decisão.


12) Você acredita que no próximo ano, se você montar um time, os confrontos com o Paraná vão ressuscitar o duelo Paula X Hortência?


Se isto acontecer será ótimo para o basquete, afinal nos carregamos por muito tempo o esporte nas costas e quem sabe este será um motivo para atrair publico.


13) E os planos para o seu site: Magic Paula On Line. Ele vai ser atualizado em breve?

O site já está sendo reformulado e estaremos atualizando periodicamente. Em breve poderemos acessar uma belo site.


14) O Bate-Bola do Painel para encerrar:

O jogo que eu não esqueço: Aquele que valeu titulo
O jogo que eu tento esquecer e não consigo: O da contusão no joelho
Um time: Cesp-Unimep
Um campeonato: Mundial
Um(a) técnico(a): Campeão
Uma colega: A bola
Uma estrangeira: Que gostava de treinar
Uma quadra: Dedicação
A bola que eu chutei e caiu: Aprender
A bola que eu chutei e não caiu: Aprender
Uma marcadora implacável: Todas que se preocuparam comigo

3 Comments:

Postar um comentário

<< Home